Buscar

Escritores de prato cheio


Um dos contos mais mentirosos que ouvimos e acreditamos desde pequenos é que algumas pessoas têm inspiração e outras não.

"Nossa, como você é inspirado" é o que as pessoas dizem às pessoas que se dedicam muito e aprendem a lidar com as ideias. Mas essa é uma frase que anula a possibilidade de muitas outras pessoas tentarem ser inspiradas.

Porque se a pessoa é inspirada, isso não é mais uma questão de poder, mas de ter nascido assim, correto? Sendo assim, quem não é inspirado, não pode mais ser.

Errado.


Inspiração nada mais é do que uma habilidade trabalhada constantemente. Inspiração é estar atento(a) às histórias que podem acontecer a qualquer momento, em qualquer lugar.

Agora mesmo, aqui em casa, eu ainda não me decidi o que vou comer no almoço. E pior: não sei se peço comida ou se faço algum prato eu mesmo. Poderia eu aproveitar esse acontecimento para escrever? Claro!


Posso escrever sobre minhas habilidades na cozinha, que não são muitas, mas são específicas, só minhas. Posso também escrever sobre meu gosto, meu prato predileto ou até sobre a minha infância, sobre as mesas de almoço do meu passado em família.

Posso também escrever sobre a dúvida. Não saber o que comer é um instante de dúvida. Será que eu sou sempre assim, uma pessoa cheia de dúvidas ou insegura? De onde vem essa minha questão particular?


Está vendo como inspiração é sinônimo de atenção e interesse? É claro que para escrever um bom texto, não basta escrever sobre qualquer coisa e pronto. Mas não tenho dúvidas que bons textos começam aí, na observação do cotidiano.


Em seguida entra o trabalho de quem escreve, de lapidar essa história, de encontrar nesse trecho de vida algo que valha a pena ser contado e, melhor, explorado, aumentado, exagerado a ponto de virar um texto.

Mas, em resumo, esqueça a ideia de que você não tem inspiração. Você tem. Talvez você ainda não saiba muito bem como usá-la. Mas um passo por vez, certo? Primeiro perceba as histórias. Depois experimente passá-las para o papel.


Se você ainda não tem muita experiência com a escrita, não vai ser na primeira nem na segunda ou terceira vez que essa história vai vingar. Mas está tudo bem também...

Vá experimentando, estudando, lendo bastante, recorrendo a autores(as) que admira e a cursos que possam te ajudar a avançar no texto.

Depois volte aqui para me contar que deu certo, que agora você é uma pessoa inspirada e que escreve boas histórias.


Tenho certeza que você vai entender e desfrutar disso quanto mais se dedicar. A atenção é o prato cheio do escritor inspirado.

Conte comigo e com o Mola para deixar sua mesa cheia de histórias saborosas.