Buscar

Cinemografia

Nada de relevante acontece no mundo e eu escrevo um poema. Leio um livro de Hemingway que diz que Paris é uma festa. E, agora, esse livro é tão descartável quanto Paris e uma festa. Eu amo Paris. O velho e o mar eu também amo. Tenho dores na lombar dias sim dias não. Também sou alérgico e sinto dores no coração nos dias que vamos ao cinema. Tenho medo de errar nosso filme.   Você gosta de filmes. E eu gosto de você. Nada de relevante acontece no mundo. A não ser esse filme ruim em cartaz, nossas mãos encaixadas e o poema que tento escrever sobre a irrelevância do mundo. Aliás, sobre a irrelevância do mundo, a culpada é você.